Archive for the ‘Arte, Lazer e Cultura’ Category

O “rolezinho” e suas facetas!

13/01/2014

Mais uma vez, vem à tona na imprensa a questão do “rolezinho”, jovens da periferia que se encontram em grandes centros comerciais (shoppings, na maioria das vezes). A quantidade de jovens é muito grande, e sempre acaba acontecendo alguma bagunça, correria, gritaria, coisas que acontecem em qualquer grande aglomerado de pessoas. Há muitas coisas envolvidas nessa questão desse tal “rolezinho”.

A primeira delas é que conta-se nos dedos o número de jovens que realmente entram no shopping para consumir. No último “rolezinho” no shopping Metrô Itaquera, por exemplo, foram estimados 3 mil jovens. Quantos desses jovens consumiram alguma coisa no shopping dentre esses 3 mil? Portanto, não é um “rolezinho” para compras.

Outro detalhe é que os shoppings são locais privados, aberto ao público, mas privados. Eles podem proibir qualquer ato ou circulação de pessoas dentro de suas dependências, assim como também são os únicos responsáveis por qualquer coisa que aconteça. E, claro, nenhum shopping quer que algo aconteça com ele, muito menos com seus clientes, os que realmente consomem. Tanto é que o Shopping JK Iguatemi conseguiu na justiça o direito de punir os que fossem identificados nos “rolezinhos” previstos para o local.

A presença da polícia e o possível excesso de autoridade nas repressões a estes jovens também foram destaque na imprensa. Claro, qualquer abuso de poder deve ser investigado e punido se confirmado, mas um dos atributos da polícia também é “manter a ordem”. Como que se consegue manter a ordem de quase 3 mil pessoas correndo e gritando pelos corredores de um shopping? E, no caso deste fim de semana, em Itaquera, várias lojas do shopping e fora dele fora danificadas e obrigadas a baixar as portas. Destruir patrimônio, seja público e privado, não é a melhor forma de protestar, todo mundo sabe disso.

Sim, é o mundo que está errado. E é claro que há nestes jovens o anseio de mudar o mundo. Mas não é em “eventos” desse tipo que os jovens vão conseguir protestar, aparecer ou serem vistos, serem inseridos no mercado de consumo, a famosa “ostentação”. Pode ser piegas, mas a mudança só existe nas urnas. Casos como esses só vão fazer a polícia continuar achando que todos são “farinha do mesmo saco”, e vão tratar todos da mesma forma sempre.

Como disse a amiga e atriz Dani Moreno em sua página do Facebook: “Minhas sugestões de ‘rolezim’ pra essa galera jovem e cheia de vontade de mudar o mundo: MASP,  OCA, a biblioteca pública mais próxima, uma breve olhada no guia OFF e terão ‘rolezins’ para o mês inteiro, Palácio do Governo e Prefeitura com faixas e cartazes de protesto em punho.”

Anúncios

Feliz Homem Novo!

31/12/2013

mafalda

Recebi esse texto (por e-mail) do amigo Gaspar Carvalho. Ele me escreveu que este texto é de 1975 e me espantei por tamanha atualidade da mensagem. Pudera, é um texto do comunicador Hélio Ribeiro, um homem muito à frente de seu tempo. Um homem que eu pessoalmente não conheci, mas com uma história encantadora.

Ele tinha um programa na Band, onde fazia crônicas do cotidiano e em ocasiões especiais. Abaixo, transcrevo o texto que Gaspar me enviou, e caso queira ouvir a gravação original (vale a pena), clique aqui!

E é assim que eu desejo a você, leitor e amigo, um feliz 2014. Um Feliz Ano Novo, um Feliz Homem Novo!

Como poderá o ano novo ser feliz se os homens que promovem as infelicidades continuarem sendo os mesmos?
A Terra, esse pequenino e inocente planeta, cumpriu a sua missão de girar e girou na sua translação ao redor do Sol ou na sua revolução ao redor de si mesma, o que mantém essa pequenina parcela do cosmos em equilíbrio com o próprio universo.
Os homens nasceram os homens morreram.
Os homens se ajoelharam para plantar sementes.
Se ajoelharam para falar com as crianças.
Se ajoelharam para pedir perdão e se ajoelharam para sua própria execução.
Os homens mataram e roubaram, mentiram e juraram e a maioria dos homens ficou falando de sua verdade particular, individual, do seu interesse próprio, mesquinho.
A verdade está acima do homem que dirige e do homem dirigido.
A verdade está acima do homem que sabe e do homem que não sabe.
A verdade está acima da mulher que gera filhos e da mulher que mata a possibilidade de vida dentro de si.
A verdade está acima dos interesses individuais.
Ela é una, indivisível.
É porque é.
O que não é plenamente verdadeiro não é meia verdade. O que não é plenamente verdadeiro é plenamente falso.
E os homens continuaram enganando-se.
E continuaram mentindo.
E continuaram prometendo.
E continuaram analisando as atitudes que eles mesmos provocaram tornando pior a vida neste último ano que vivemos.
Ah! Eles mataram culpados que seriam inocentes se estivessem do outro lado, e mataram inocentes que seriam culpados, apenas em função do lado.
Ah! Esses homens! Mataram crianças dizendo que defendiam a liberdade e o direito de vida.
Eles chegaram, em determinados momentos, em alguns lugares do mundo, ao crime maior de dar força ao corruptor para corromper.
E justificaram seus erros promovendo novos erros.
E foram injustos na sua justiça.
Eles aperfeiçoaram máquinas, inventaram, parlamentaram, guerrearam para garantir energia para a geração futura que eles mesmos estão matando no ventre materno.
Pelo temor do presente mataram adultos.
Pelo temor do futuro matam aqueles que deveriam nascer.
Gastaram fortunas e fortunas para aperfeiçoar uma pílula para matar filhos de quem  pode comprar.
Investiram para fazer nascer no tubo o ser que destroem na mãe, mas não tiveram dinheiro para matar a fome das crianças pele e osso, que nas esquinas do mundo gritam para todos os lados:
“Eu só quero viver, eu só quero comer, eu só quero vestir, eu só quero ter o direito de chorar, eu só quero sorrir…”
Como poderá o ano novo ser feliz se os homens promotores de injustiças continuarem sendo os mesmos?
Dois mil anos, três mil, quatro mil, cinco mil em termos de tempo cósmico, universal, esse tempo não é nada.
Nosso tempo é muito curto, muito rápido, vertiginoso, veloz, ele passa… e passou.
E nós não temos ainda plena ciência do que somos, de onde viemos e para onde estamos caminhando.
Nós sabemos algumas coisas pelos recados inteligentes, filosóficos, humanos e divinos deixados por Jesus Cristo que, acalmando as intranquilidades, dizia: “Não vos inquieteis pelo dia de amanhã. A cada dia já basta o seu cuidado”.
E que propondo coisas mais além, dizia: “Na casa de meu pai existem muitas moradas” e muitas moradas deverão existir porque esta vida aqui embaixo, do jeito que está sendo vivida, seria totalmente absurda. Um nascer, um crescer, um sofrer, um se esmagar, um não se completar e morrer, assim por tão pouco, assim  por quase nada.
Como poderá o ano novo ser bom se os homens promotores de infelicidade continuarem agindo da mesma maneira?
A distinção única, maior, superior, que nos faz diferentes dos outros animais, é a nossa capacidade de raciocínio, e só há uma forma de entendimento universal:
É que se sentem na mesma mesa os homens certos para dialogar, para discutir, parlamentar, sem guerrear e dizer: “O que fazer para melhorar o mundo para as pessoas, para garantir comida para todos os seres que estão aqui embaixo?”
Porque há uma inversão total de posição, as coisas do mundo vão muito bem obrigado, e neste ano que acaba, elas tiveram momentos felicíssimos, as coisas, todas as coisas.
Mas seja verdadeiro, realista, acredite você no que acreditar, vá fazer uma pesquisa na Rússia, nos Estados Unidos, na França,  no Japão, na China, no Brasil e você sentirá uma angústia dentro de cada ser humano.
Cada vez menos humano.
Cada vez menos indivíduo.
Cada vez menos gente.
Porque, quer nos parecer, que os homens que criaram sistemas políticos, perderam-se no meio do caminho.
E o que é preciso, em termos de mundo, (e este grito é inútil e provavelmente se perderá no vazio), é recolocar o homem como meta prioritária.
A lágrima da criança oriental é igual à lágrima da criança ocidental…  as lágrimas das duas são iguais a todas as lágrimas de todas as crianças do mundo porque são salgadas. E sangue é vermelho no mundo inteiro.
Então o que é preciso para melhorar o amanhã de todas as pessoas, cuidando do presente das crianças de hoje.
Como poderá o ano novo ser melhor? Feliz Ano Novo? Como o Ano Novo poderá ser melhor?
Não se iluda, se os homens promotores de infelicidades continuarem agindo da mesma maneira!
Ah! Mas há uma chance.
Há uma possibilidade? Uma.
É você, no seu círculo, na sua própria vida, no seu pequeno mundo (porque você tem um limite de ação, você mora em um  lugar determinado, trabalha em outro). Se diverte noutro.
Você vai e volta.
E você tem um círculo, pequeno, médio ou grande, de amizades e este é o seu mundo verdadeiro, de fato.
Se você conseguir melhorar as condições de relacionamento neste seu pequeno mundo, neste mundo (família, trabalho, diversões, amizades), o mundo inteiro ficará menos ruim, consequentemente, obviamente ficará melhor.
Porque você o melhorou no seu pequeno ou no seu grande círculo de relações.
Experimente, tente. Afinal de contas essa vida é sua, é minha, é nossa, e ela passa tão rapidamente, tão veloz, de repente você não está mais, de repente você quer abrir os olhos e não abre mais!
E você não fez nada  e você não viu nada, você não sentiu nada, você não melhorou nada.
Como poderá o ano novo ser feliz se você não for feliz?
Como poderá o ano novo ser melhor se você não for melhor?
Que Deus nos ajude a todos para que possamos ter realmente sentido quando lhes disseram uns aos outros Feliz Ano Novo! Feliz Ano Novo! Feliz Ano Novo!
 
(Conforme improviso de Hélio Ribeiro aos microfones da Rádio Bandeirantes em 31-12-75)
 

Cadulaque concorre a mais um Prêmio GRC Music!!!

16/07/2010

Jornalistas, produtores de bandas e selos, bandas e artistas indicaram veículos de comunicação independentes ou que abrem espaço para trabalhos do underground nacional para concorrer ao troféu do 4º Prêmio GRC Quality Music 2010. Também foram indicadas casas noturnas, bares, estúdios de gravação, personalidades que trabalham em prol da música independente brasileira.

E o CADULAQUE, programa que ajudo a produzir e é apresentado pelo amigo Cadu Previero (locutor da 89FM), concorre pela segunda vez na categoria PROGRAMA DE TV/WEB TV. Já concorremos em 2008 e levamos o prêmio. Desta vez temos ótimos programas concorrendo, por isso o CADULAQUE precisa ainda mais do seu voto!

Agora o público decide, pois a votação popular ficará no ar até dia 29 de julho, no site www.grcmusic.net/4premio (link Votação Popular – rodapé esquerdo).

A cerimônia de premiação será realizada dia 30 de julho, sexta-feira, das 13h às 15h, na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo – Auditório Franco Montoro (Av. Pedro Álvares Cabral, 201 – Ibirapuera SP/SP). Evento grátis, censura livre. E no dia seguinte, sábado, 31, acontece a 4ª edição do evento com palestras, workshops, workshows e as bandas selecionadas também recebendo o troféu, a partir das 9h30, na Sociedade Amigos de Casa Verde (Rua Dr. César Castiglioni Jr, 577, São Paulo/SP). Entrada R$10,00. Censura 14 anos.

Conto com o apoio de todos vocês, leitores deste humilde blog!

Abração!