Archive for the ‘Imprensa’ Category

Qual é a verdadeira verdade?

13/02/2014

cinegrafista-band-santiago

Sempre ouvi dizer que toda ocasião tem 3 verdades: a sua, a minha e a verdade real. Será que é verdade mesmo? Essa é uma pergunta que sempre paira na minha cabeça sempre que deparo com determinadas situações, cotidianas ou especiais. Qual é a verdade? Quem está com a razão? É possível saber exatamente a verdade sobre tudo?

Essas perguntas vieram à minha cabeça depois do ocorrido com o cinegrafista da Band, Santiago Andrade, e todo o desenrolar que este acontecimento trouxe na mídia, nas redes sociais, no balcão da padaria, nas rodas de amigos. Afinal, o que teria realmente acontecido com ele? Quem efetivamente soltou aquele maldito rojão?

As imagens foram analisadas e chegou-se a uma pessoa. Essa pessoa disse que tinha dado o rojão a outra, e tinha recebido de outra, uma confusão danada. Eis que chegaram numa tal de Sininho e descobriu-se que ela tinha envolvimento com um determinado político, que por sua vez negou ter qualquer relação e, enfim, chegou-se no cara que, segundo a polícia, teria sido o autor da coisa toda. O tal do Caio Souza foi preso por ter confessado ter acendido e lançado o rojão. Pronto, história resolvida, culpado encontrado, réu confesso, tudo certo. Certo?

Mais ou menos. Começou a pipocar nas redes sociais a teoria de que este Caio seria apenas um laranja, que ele estaria confessando o crime apenas para “acobertar” alguém, que este outro alguém aparece nas imagens da manifestação, mas ninguém sabe quem é. Ou melhor, até sabem, dizem que é um tal de P2 (um infiltrado da polícia na manifestação).

Agora, uma outra versão, que foi publicada na página do PCO – Pardido da Causa Operária, afirma veementemente que foi a polícia que soltou essa bomba que acertou o Santiago. Dá detalhes, inclusive, baseado em outros relatos de pessoas que participavam/observavam a manifestação.

E agora? Qual é a verdade? Em quem acreditar? Qual é a verdadeira verdade? Nunca saberemos?

Anúncios

A Cracolândia, seus dependentes e seus traficantes

28/01/2014

craco

Muito se falou na semana passada sobre a ação da Polícia Civil, do DENARC, na Cracolândia. Foi uma ação forte, ríspida, violenta, sem dúvida. Teve bomba de gás, correria e quebra-quebra. Quem passava por lá, ou quem viu as cenas por fotos e vídeos, viu que a coisa não foi fácil.

Como sempre, os “intelectualóides” trataram de se pronunciar e vomitar suas opiniões, sem ao menos estudar a fundo o problema. Como em toda a situação, existem pelo menos 3 verdades: a sua, a do outro, e a verdade propriamente dita. Cada um tem um olho para observar determinada situação e esse cada um a observa como achar melhor, mais conveniente para ele.

E volta à tona aquela velha questão: na Cracolândia só tem doente realmente? São apenas drogados que estão acabando com a própria vida e não fazem mal a ninguém, a não ser a eles mesmos?

Depois da ação, a Prefeitura de São Paulo disse que “caiu por terra” todo o trabalho que vinha realizando de recuperação desses drogados, a “Operação Braços Abertos”, lançada no começo do ano. Segundo a Prefeitura, “os dependentes de drogas formam um segmento social vulnerável que tem como viga mestra de sustentação o próprio vício. É difícil que saiam da dependência sem ter outras formas de se sustentar. Ou seja, moradia, alimentação e emprego ampliam as condições para o tratamento para sair do vício alcance melhores resultados”. E concordo. É necessário mesmo que se faça um trabalho social com esses dependentes para que eles sejam inseridos novamente na sociedade.

Agora, o que não podemos ignorar é o fato de que, se os dependentes se juntam EXATAMENTE ali, é porque alguma coisa os leva até lá. E todo mundo sabe o que é, não precisa ficar de hipocrisia: o dependente de droga vai onde tem a droga. O comércio de drogas acontece livremente por lá e, até onde me consta, a venda de drogas é crime. Portanto, um problema sim de segurança pública. O traficante deve sim ser preso e receber as devidas sanções legais.

O dependente, para manter o seu vício, precisa pagar o traficante, o que o leva a cometer roubos e furtos, a agredir pessoas e se torna violento para sobreviver no seu mundo. Aí temos outro problema de segurança pública, que deve também ser combatido como qualquer outro problema de segurança pública.

A ação da polícia foi legítima sim, tanto quanto a ação da prefeitura. Ou seja, vamos ficar discutindo aqui eternamente sobre o fato em si e nunca chegaremos ao necessário, ao que deve ser feito: uma ação conjunta dos dois poderes, Polícia (Estado) e Assistência Social (Prefeitura) para que o problema se resolva. Essa é a única maneira. E enquanto os dois, Estado e Prefeitura, não sentarem e conversarem sobre o problema, vai ser sempre assim, cada um achando que a sua ação ou o seu projeto é a que vale a pena e a outra vai atrapalhar.

Como disse aquele velho filósofo, o buraco é bem mais embaixo. E temos que descer até lá para resolver.

Para o ano leitoral… Tudo! Para as vítimas das enchentes… Nada!

30/12/2013

Imagem

A presidente Dilma Rousseff fez seu último pronunciamento em cadeia nacional ontem à noite, dia 29 de dezembro. E, como vem acontecendo nos últimos pronunciamentos, o tom festivo e eleitoral está cada vez mais forte em suas palavras e nos assuntos abordados.

Dilma fez questão de frisar que 2014 “será ainda melhor que 2013” e pediu para que os jovens “olhem para o futuro”, ou seja, clara demonstração de preocupação com o ano que pode definir a sua permanência na Presidência da República.

A presidente lembrou ainda do processo de privatizações de portos, aeroportos e rodovias que, segundo ela, estão “melhorando a infraestrutura, iniciando a mais ampla, justa e moderna parceria de todos os tempos com o setor privado”. Eu, sinceramente, não sabia que “parceria” era o novo nome de “privatização”.

Ela acrescentou que o governo está “firme” na luta contra a inflação na manutenção do equilíbrio das contas públicas. “Sabemos o que é preciso para isso e nada nos fará sair desse rumo”, frisou Dilma. Eu sinceramente não sei a quem ela quer convencer com esta “firmeza” na luta contra a inflação. Quem, como eu, rala a barriga no balcão do comércio sabe que a única firmeza deste governo é com impostos e taxas, que estão cada vez maiores e rígidos. Os preços estão subindo sim, mês a mês, e nem essa contabilidade “mágica” do governo está conseguindo maquiar isso.

Por fim, sabe o que ela falou sobre as enchentes na região Sudeste (Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo) e suas vítimas? NADA! Sabe o que ela prometeu de ações para essas regiões? NADA! Sabe o que ela comentou sobre a epidemia (sim, já é uma epidemia) de crack e suas consequências? NADA!

O senador Aécio Neves escreveu em sua conta do Facebook sobre o que disse Dilma ontem. Ele definiu bem tudo que eu pensei ao ouvir as palavras da nossa presidente.

“Nenhuma palavra sobre as famílias vítimas das chuvas e as obras prometidas e não realizadas. Nenhuma menção à situação das empresas públicas, à inflação acima do centro da meta, ao pífio crescimento da economia. Nenhuma menção à situação das estradas, à crise da segurança e à epidemia do crack que estraçalha vidas.
Apenas como exemplo, na ilha da fantasia a que a presidente nos levou mais uma vez, a qualidade do ensino tem melhorado e a criação de creches é comemorada.
Enquanto isso, no Brasil real, os resultados dos testes internacionais demonstram o contrário: o analfabetismo parou de cair e, das 6 mil creches prometidas por ela em 2010, apenas 120 haviam sido entregues até outubro.
Essa nova e abusiva convocação de rede de rádio e televisão é mais uma demonstração da falta de limites de um governo que acredita que a propaganda e o ilusionismo podem demonstrar força, enquanto, na verdade, só acentuam a sua fraqueza.”

Pois é, amigo leitor. Vivemos numa ilha da fantasia! Só que não…

Ela acrescentou que o governo está “firme” na luta contra a inflação na manutenção do equilíbrio das contas públicas. “Sabemos o que é preciso para isso e nada nos fará sair desse rumo”, frisou Dilma. – See more at: http://dilma.pt/pais-termina-2013-melhor-do-que-comecou-diz-dilma-em-ultimo-pronunciamento-do-ano-na-tv/#sthash.P0pnUDgL.dpuf