Posts Tagged ‘drogas’

A Cracolândia, seus dependentes e seus traficantes

28/01/2014

craco

Muito se falou na semana passada sobre a ação da Polícia Civil, do DENARC, na Cracolândia. Foi uma ação forte, ríspida, violenta, sem dúvida. Teve bomba de gás, correria e quebra-quebra. Quem passava por lá, ou quem viu as cenas por fotos e vídeos, viu que a coisa não foi fácil.

Como sempre, os “intelectualóides” trataram de se pronunciar e vomitar suas opiniões, sem ao menos estudar a fundo o problema. Como em toda a situação, existem pelo menos 3 verdades: a sua, a do outro, e a verdade propriamente dita. Cada um tem um olho para observar determinada situação e esse cada um a observa como achar melhor, mais conveniente para ele.

E volta à tona aquela velha questão: na Cracolândia só tem doente realmente? São apenas drogados que estão acabando com a própria vida e não fazem mal a ninguém, a não ser a eles mesmos?

Depois da ação, a Prefeitura de São Paulo disse que “caiu por terra” todo o trabalho que vinha realizando de recuperação desses drogados, a “Operação Braços Abertos”, lançada no começo do ano. Segundo a Prefeitura, “os dependentes de drogas formam um segmento social vulnerável que tem como viga mestra de sustentação o próprio vício. É difícil que saiam da dependência sem ter outras formas de se sustentar. Ou seja, moradia, alimentação e emprego ampliam as condições para o tratamento para sair do vício alcance melhores resultados”. E concordo. É necessário mesmo que se faça um trabalho social com esses dependentes para que eles sejam inseridos novamente na sociedade.

Agora, o que não podemos ignorar é o fato de que, se os dependentes se juntam EXATAMENTE ali, é porque alguma coisa os leva até lá. E todo mundo sabe o que é, não precisa ficar de hipocrisia: o dependente de droga vai onde tem a droga. O comércio de drogas acontece livremente por lá e, até onde me consta, a venda de drogas é crime. Portanto, um problema sim de segurança pública. O traficante deve sim ser preso e receber as devidas sanções legais.

O dependente, para manter o seu vício, precisa pagar o traficante, o que o leva a cometer roubos e furtos, a agredir pessoas e se torna violento para sobreviver no seu mundo. Aí temos outro problema de segurança pública, que deve também ser combatido como qualquer outro problema de segurança pública.

A ação da polícia foi legítima sim, tanto quanto a ação da prefeitura. Ou seja, vamos ficar discutindo aqui eternamente sobre o fato em si e nunca chegaremos ao necessário, ao que deve ser feito: uma ação conjunta dos dois poderes, Polícia (Estado) e Assistência Social (Prefeitura) para que o problema se resolva. Essa é a única maneira. E enquanto os dois, Estado e Prefeitura, não sentarem e conversarem sobre o problema, vai ser sempre assim, cada um achando que a sua ação ou o seu projeto é a que vale a pena e a outra vai atrapalhar.

Como disse aquele velho filósofo, o buraco é bem mais embaixo. E temos que descer até lá para resolver.

Anúncios

As drogas venceram a educação!!!

30/10/2009

liceu

Amigos leitores do blog. Acabei de chegar da ALLTV, depois de mais uma apresentação do NOL e minha amiga e companheira de bancada Ana Laura Fazoli me surpreendeu com uma notícia estarrecedora: o tradicional Liceu Coração de Jesus, no centro de São Paulo, pode fechar as portas no ano que vem. E o motivo: drogas!

Vou explicar. Fundado em 1885, o Liceu Coração de Jesus tem tido problemas com a presença constante dos “noias” no entorno na instituição, que fica na cracolândia, área degradada do centro de São Paulo, espantando alunos novos e, há pelo menos oito anos, motivando transferências de estudantes, segundo reportagem publicada na edição da última quarta-feira da Folha de São Paulo.

De acordo com o texto, o problema é tão grave que o colégio, que ocupa uma área de 17 mil m2, tem hoje só 288 alunos – há 30 anos eram 3 mil. A partir do ano que vem, a situação vai piorar, pois o colégio encerrará as atividades do ensino médio matutino. Em 2008, foi fechado o fundamental vespertino. Há três anos, os cursos superiores e, há oito, não existe mais aquele que foi o primeiro curso de ensino médio noturno da cidade, onde estudaram nomes como Monteiro Lobato e Grande Otelo.

Enfim, amigos, este é o retrato da nossa sociedade. Enquanto as pesquisas apontam que aumenta cada vez mais o número de crianças e adolescentes envolvidas com as drogas, diminui a freqüência de alunos nas escolas, chegando ao ponto de fechar as portas de uma das mais tradicionais escolas de São Paulo. Como eu disse, as drogas estão vencendo a educação.

E o que podemos fazer? Alguém tem alguma sugestão?

Abração!

208 milhões de drogados no mundo

29/06/2008

Deu no portal do Estadão: o número de pessoas que consomem droga pelo menos uma vez por ano em todo o mundo teve uma pequena alta para o total de 208 milhões, 4,9% da população do planeta entre 15 e 64 anos, informou a ONU. Estas informações estão presentes no Relatório Mundial sobre as Drogas 2008, elaborado pelo Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime (UNODC) e publicado por ocasião do Dia Internacional contra o Abuso de Drogas e o Tráfico Ilícito.

O documento destaca que o número de consumidores se manteve estável e abaixo de 5% da população mundial, e afirma que para 26 milhões de pessoas, 0,6% da população adulta do planeta, a droga representa um sério problema. A substância ilegal mais difundida é a maconha, consumido por 165,6 milhões de pessoas, 3,9% da população de 15 a 64 anos em 2007, 0,1 ponto percentual a mais do que no ano anterior.

As anfetaminas são a segunda droga mais difundida – sendo usada por 24,7 milhões de pessoas -, mas foi a única que experimentou certa queda no consumo, que passou de 0,60% para 0,58%. As substâncias seguintes são o grupo dos derivados do ópio com 16,5 milhões de consumidores, 0,39% da população mundial e que experimentou um pequeno aumento de 0,02%. A cocaína é consumida por 16 milhões de pessoas, 0,4% da população mundial, e teve também um pequeno aumento, da mesma forma que o ecstasy, com 9 milhões de usuários.

Segundo as informações da ONU, morrem a cada ano cinco milhões de pessoas por causa do tabagismo, dois milhões e meio por culpa do álcool, e cerca de 200 mil por causa do efeito das drogas.

Abração!